A psicologia Em diálogo com seus testemunhos: um percurso paradoxal pelos métodos quantitativos

Arthur Arruda Leal Ferreira, Camilla Stembrock Pereira, Felipe Hautequestt, Geovana de Azevedo Gomes, Julia Torres Brandão, Marcus Miguel Verly, Natalia Barbosa Pereira, Rodrigo José Pires Madeira

Resumen


O objetivo geral deste artigo é tentar produzir uma compreensão sobre os modos de diálogo entre a psicologia e seus sujeitos. Para abordar estes diversos modos de diálogo será apresentada uma breve história desta relação, além de uma reflexão desta por meio da Teoria Ator-Rede de Bruno Latour, Annemarie Mol e John Law, e a Epistemologia Política de Isabelle Stengers e Vinciane Despret. Partindo da consideração das diversas psicologias como dispositivos de produção ontológica de subjetividades será proposto um conjunto de trabalhos de investigação para se avaliar entre estudantes do segundo grau na cidade do Rio de Janeiro a presença e as formas dos modos de subjetivação psicologizados. À guisa de conclusão os resultados desta pesquisa serão discutidos tendo em vista as próprias políticas ontológicas envolvidas na escolha dos métodos empregados.


Palabras clave


Estudos sociais da ciência, epistemologia da psicologia, produção de subjetividade.

Texto completo:

PDF

Referencias


Comte, A. (1973). Curso de filosofia positiva. In: Os Pensadores. Abril, são Paulo, 1973 (texto de 1837).

Despret, V. (2002) Quand le loup dourmira avec l’agneau. Paris: Les empecheurs de penser en ronde.

Despret, V. (2004). Le cheval qui savait compter. Paris: Les empecheurs de penser en ronde.

Foucault, M. (1996) Sobre a genealogia da ética: uma revisão do trabalho. In: H. Dreyfuss, H., & P. Rabinow (Orgs.), Michel Foucault na trajetória filosófica. Rio de Janeiro: Forense Universitária.

Gergen K. (1976) Social Psychology, History and Science. Personality and Social Bulletin, 2, 373-383.

Kant, I. (1994). Crítica da Razão Pura. Lisboa: Calouste Gulbekian (original publicado em 1781).

Kant, I. (1989) Princípios metafísicos de la ciência de la naturaleza. Madri: Alianza, (original publicado em 1786).

Latour, B. (1997). Des sujets recalcitrants. In: Recherche, Septembre 1997, p. 301.

Latour, B. (1998). A ‘Universalidade em pedaços’. Folha de São Paulo, Mais!, 13 de setembro, 3.

Latour, B. (2004). How to talk about the body. Body & Society, 10 (2-3), 205-229.

Law, J. (2004) After Method. New York: Routledge. Stengers, I. (1989. Quem tem medo da ciência? São Paulo: Siciliano.

Vidal, F. (2006). A mais útil de todas as ciências. Configurações da psicologia desde o Renascimento tardio até o fim do Iluminismo. In A. M. Jacó-Vilela, A. A. Ferreira, & F. T. Portugal (orgs.), História da psicologia: rumos e percursos. Rio de Janeiro: Nau.




DOI: https://doi.org/10.33881/2027-1786.rip.%25x

Métricas de artículo

Vistas de resumen
253




Cargando métricas ...

Enlaces refback

  • No hay ningún enlace refback.




Copyright (c) 2019 Corporación Universitaria Iberoamericana

Licencia de Creative Commons
Este obra está bajo una licencia de Creative Commons Reconocimiento-NoComercial-SinObraDerivada 4.0 Internacional.


Bogotá, Calle 67 N 5-27.
Servicio al Estudiante (1) 5897550.
Horario: Lunes a viernes de 8 a.m. a 7 p.m.
Conmutador (1) 3489292.
Horario: Lunes a viernes de 8 a.m. a 6 p.m. y sábados de 8 a.m. a 1 p.m.
Neiva, Calle 14 N 8B-65. Teléfonos (8) 875 8103 y 875 9009.
servicioalestudiante@iberoamericana.edu.co
Bogotá, Colombia, Sur América

Carácter académico: Institución Universitaria
P.J. No. 0428 del 28 de Enero de 1982 - MEN
VIGILADA MINEDUCACIÓN

Sistema OJS - Metabiblioteca |