Tecnologia Assistiva e seus recursos no trabalho com crianças com Transtornos do Espectro do Autismo (TEA) no projeto ADACA

Vera Lucia Caminha

Resumen


Os estudos que envolvem a relação entre a pessoa com Transtorno do Espectro do Autismo (TEA) e as Tecnologias Assistivas ainda são incipientes no que tangem aos dispositivos que favorecem o desenvolvimento da comunicação alternativa dos autistas. Para tanto, identificar as necessidades específicas de aprendizagem para esse tipo de deficiência requer o desenvolvimento de estudos e pesquisas que facilitem o estabelecimento dessa comunicação e facultem a inclusão dessas pessoas na sua relação ensino-aprendizagem. O Ambiente Digital de Aprendizagem para Crianças Autistas - ADACA, é um projeto de pesquisa e extensão que está sendo realizado na Universidade Federal Fluminense (UFF), onde são desenvolvidas ferramentas  computacionais com o objetivo de auxiliar na aprendizagem da criança com autismo, contribuindo para a inclusão digital dessas crianças. O TEA consiste em um distúrbio que engloba o comprometimento nas áreas relacionadas à comunicação, à interação e às ações simbólicas. Além disso, compromete o comportamento geral e o desenvolvimento neuropsicológico da pessoa com TEA. Nesse sentido, a equipe do projeto ADACA vem desenvolvendo jogos e atividades educacionais de acesso gratuito para diferentes plataformas computacionais. Os jogos e atividades educativas são testados e analisados pelas crianças com autismo no LADACA (Laboratório do Ambiente Digital de Aprendizagem para Crianças Autistas) o qual é dividido em três ambientes (Lúdico, Computacional e Gerenciamento). Foram desenvolvidos também jogos e aplicativos para dispositivos móveis, para que sejam usados onde a criança estiver. Trata-se de um projeto interdisciplinar envolvendo as áreas de Ciências da Computação, Fonoaudiologia e Psicologia e do desenvolvimento da aprendizagem, gerando dados para se pensar em estratégias de intervenção e atuação com pessoas com TEA que favoreçam sua interação e desenvolvimento com as habilidades e competências que lhe concernem.


Palabras clave


Autismo; Inclusão; Tecnologias Assistivas; jogos; aprendizagem.

Referencias


ALVES, P. P. ; CAMINHA, V. L. P. S. ; MORATO, P. . “Desafios no processo de inclusão da pessoa com transtornos do espectro do autismo: o uso de tecnologias assistivas em ambientes digitais de aprendizagem”. In: XIV JORNADA DE EDUCAÇÃO ESPECIAL E II CONGRESSO INTERNACIONAL DE EDUCAÇÃO ESPECIAL E INCLUSIVA, 2018, Marília-SP. Educação Unespecial [recurso eletrônico] : anais / XIV Jornada de Educação Especial e II Congresso Internacional de Educação Especial e Inclusiva., v. 1. p. 175-181, 2018.

ALVES P.P., ALMEIDA T.M., CAMINHA V.L.P.S., CAMINHA A.O., ”Desafios no

atendimento a crianças com Transtornos do Espectro do Autismo:

Construindo vínculos e favorecendo a interação em ambientes digitais

de aprendizagem”, anais do XI Congresso Brasileiro de Psicologia do

Desenvolvimento, Universidade Federal de Sergipe, 2017.

ALVES, Priscila P.; CAMINHA, Adriano de O.; CAMINHA, V. L. P. S., Diálogo como recurso para observação e intervenção no trabalho com a dinâmica Familiar do Autista: Estratégias para o Favorecimento do Coping, Anais do X Congresso Ibero Americano de Psicologia, Lisboa, Portugal, 2014.

ALVES, Priscila P.; CAMINHA, Adriano de O.; CAMINHA, Vera Lúcia P. S., Estratégias de Coping para interação entre a família e a pessoa autista: um olhar a partir da perspectiva dialógica, Anais do IX Congresso Norte Nordeste de Psicologia (CONPSI), Salvador, Bahia, 2015.

ALVES, Priscila P.; CAMINHA, Adriano de O.; CAMINHA, Vera Lúcia P. S., Assistive Technologies As A Resource To Facilitate The Interaction Of Autistic Person And The Family Coping Strategies, Anais do Congresso Internacional de Autismo na Vida Adulta, São Paulo-SP, 2015.

AMERICAN PSYCHIATRIC ASSOCIATION. Diagnostic and Statistical Manual of Mental Disorders, Fifth Edition (DSM-V). Arlington, VA: American Psychiatric Association, 2013.

AGUIAR, Luciana.Gestalt-Terapia com crianças: teoria e prática. Editora Livro Pleno, S.P., 2005.

AMESCUA, Guadalupe. Autismo na teoria Gestalt em direção a uma teoria Gestalt da personalidade. Gestalt Review, 3(3):226-238, 1999.

BUBER, Martin. Do diálogo e do dialógico. São Paulo: Perspectiva, 1982 .

BUBER, Martin. Encontro: fragmentos autobiográficos. Petrópolis: Vozes, 1991.

BUBER, Martin. Eu e Tu. 5.ed. São Paulo: Centauro, 2001.

CAMINHA V.L.P.S., CAMINHA A.O., SANTOS C.P., ”Jogos educacionais para

auxílio na aprendizagem de crianças com autismo”, anais do V Congresso

Baiano de Educação Inclusiva, III Simpósio Brasileiro de Educação

Especial - Educação Inclusiva: Saberes, prática e emancipação,

Universidade Estadual de Feira de Santana, 2017.

CAMINHA, V. L. P. S.; HUGUENIN, J. Y.; ASSIS, L. M.; ALVES, P. P.; Autismo: Vivências e Caminhos, Ed. Blucher, v. 1, 139p, 2016.

CAMINHA, V. L. P. S.; CAMINHA, A. O.; ALVES, P. P.; Ambiente Digital de Aprendizagem para Crianças Autistas (ADACA), In: Caminha, Vera L. P. S., Huguenin, Julliane, Assis, Lúcia M., Alves, Priscila Pires; "Autismo: Vivências e Caminhos", Ed. Blucher, v. 1, p. 123-137, 2016.

CAMINHA, V. L. P. S., CAMINHA, A. O.,VICENTE, G. L. F., ASSIS, L. M., HUGUENIN, J. Y., ALVES, P. P., FELIX, P. C., PIMENTEL, R. D. P., Ambiente Digital de Aprendizagem para Crianças Autistas (ADACA). In: II Fórum Internacional de Inclusão: Discutindo Autismo e Deficiência Múltipla, Rio de Janeiro. Anais do II Fórum Internacional de Inclusão: Discutindo Autismo e Deficiência Múltipla. v.1. p.156 -167, 2013.

CAMINHA, V. L. P. S., Ensaios sobre Autismo e Deficiência Múltipla. In: Nunes, L. R. O. (Org.). A Contribuição dos Recursos Digitais para a Inclusão de Pessoas com Autismo, Marília: ABPEE: Marquezine & Manzini, p.107-116, 2013.

FERREIRA, M. E. C., GUIMARÃES, M., Educação inclusiva. Rio de Janeiro; DP&A, 2003.

GLAT, R. & BLANCO, L, V. M., Educação Especial no contexto de uma Educação Inclusiva. In: GLAT, R. (Org.). Educação Inclusiva: cultura e cotidiano escolar. Rio de Janeiro: 7 Letras, p. 15-35, 2007.

GALVÃO FILHO, T. A. et al. Conceituação e estudo de normas. In: BRASIL, Tecnologia Assistiva. Brasília: CAT/SEDH/PR, p. 13-39, 2009.

KE, F., A Qualitative Meta-Analysis of Computer Games a Learning Tools. University of New Mexico, USA. 2009.

GONÇALVES, S.; QUINTAS, J.. Mesa-redonda 08: I - Propondo uma visão gestáltica sobre o autismo. II - A Gestalt-terapia nas situações de emergência e em diálogo com o SUS: a clínica do contato, do trauma à reabilitação.. Congressos e Encontros Nacionais da Gestalt-Terapia Brasileira (ISSN: 2179-5673), América do Sul, 9 18 02 2010.

MANTOAN, M. T. E., Caminhos pedagógicos da inclusão; Como estamos implementando a educação (de qualidade) para todos nas escolas. São Paulo: Memnom, 2006.

MAZZOTA, M. J. S., Trabalho Docente e Formação de professores em Educação Especial. São Paulo. EPU, 1993.

MITTLER, P., Educação Inclusiva: Contextos Sociais. Porto Alegre: Artmed, 2003.

PASSERINO, L. M.; SANTAROSA, L. C. M., EDUKITO: Propiciando a inclusão digital de Pessoas com Necessidades Educacionais Especias – CINTED-UFRGS, V.2. No. 1, Março, 2004.

PASSERINO, L. M.; SANTAROSA, L. C. M., Interação social no autismo em ambientes digitais de aprendizagem. Psicol. Reflex. Crit. v.20 n.1- Porto Alegre, 2007.

PONTY, M., Fenomenologia da percepção. São Paulo: Martins Fontes, 2010.

SASSIKI, R. K., Inclusão. Construindo uma sociedade para todos. 4ª ed. Rio de Janeiro. WWA, 2002.

SILVA, M. do C. B. de L.; BROTHERHOOD, R. de M., Autismo e inclusão: da teoria à prática. Encontro Internacional de Produção Científica Cesumar. Maringá, Paraná. 2009. Disponível em: Acesso em: 01 nov 2012.

STAINBACK, S.; STAINBACK, W., Inclusão: um guia para educadores. Porto Alegre: Artes Médicas Sul, 1999.

VARELA, R.C.B e OLIVER, F. C. A utilização de Tecnologia Assistiva na vida cotidiana de crianças com deficiência. Ciência & Saúde Coletiva, 18(6):1773-1784, 2013.

VYGOTSKY, L., Pensamento e linguagem. São Paulo: Martins Fontes, 2009.

VYGOTSKY, L., A formação social da mente. 2a. Edição. São Paulo: Martins Fontes, 2007.


Métricas de artículo

Vistas de resumen
41




Cargando métricas ...

Enlaces refback

  • No hay ningún enlace refback.




Copyright (c) 2019 Corporación Universitaria Iberoamericana

Licencia de Creative Commons
Este obra está bajo una licencia de Creative Commons Reconocimiento 4.0 Internacional.


Bogotá, Calle 67 N 5-27.
Servicio al Estudiante (1) 5897550.
Horario: Lunes a viernes de 8 a.m. a 7 p.m.
Conmutador (1) 3489292.
Horario: Lunes a viernes de 8 a.m. a 6 p.m. y sábados de 8 a.m. a 1 p.m.
Neiva, Calle 14 N 8B-65. Teléfonos (8) 875 8103 y 875 9009.
servicioalestudiante@iberoamericana.edu.co
Bogotá, Colombia, Sur América

Carácter académico: Institución Universitaria
P.J. No. 0428 del 28 de Enero de 1982 - MEN
VIGILADA MINEDUCACIÓN

Sistema OJS - Metabiblioteca |