Imagen de portada

A divulgação dos termos Gameful, Playful e Affordance na literatura científica (2006 - 2016)

Washington Sales Do Monte, Robelius De-Bortoli, Ricardo Fontes Macedo

Resumen


O objetivo deste artigo é analisar a disseminação dos termos: Gameful, Playful e Affordance na produção científica registrada entre 2006 e 2016. A gamificação tem sido estudada por diversos pesquisadores em todo o mundo; A maioria das pesquisas procurou melhorar as aplicações da mecânica de jogo em contextos não necessariamente relacionados ao jogo. Os termos temáticos affordance, Playful (game process) e Gameful (contexto não relacionado ao jogo) são novos e, portanto, não estão disponíveis para uma tradução para o português; só foi descoberto que Playful pode ser usada para explicar processos relacionados à gamificação. A busca foi realizada no banco de dados Scopus e, para o seu desenvolvimento, foi implementada uma abordagem quantitativa exploratória descritiva, na qual foi aplicado um método de análise bibliométrica. Como resultado, identificou-se que, no período estudado, houve um aumento na disseminação desses conceitos, principalmente no período entre 2012 e 2016, que registrou a maior tendência de crescimento. As publicações estão concentradas nas subáreas das ciências sociais, artes, humanidades e informática, todas relacionadas ao estudo do comportamento humano. Constatou-se também que os Estados Unidos, o Reino Unido, o Canadá e Taiwan são os principais países que disseminam conhecimento em relação a esses conceitos (78% das publicações) e que os principais idiomas de publicação foram o inglês e o francês. Uma análise dos dados revelou uma multiplicidade de estudos para os países interessados, bem como uma interdisciplinaridade da gamificação e sua convergência em outras áreas.


Palabras clave


Affondance; Bibliometría; Gamification; Gameful; Playful.

Texto completo:

PDF

Referencias


ARAÚJO, C. A. (2006). Bibliometria: evolução histórica e questões atuais. Em Questão, Porto Alegre, v. 12 (1), p.11-32.

ALVES, L (2005). Game over: jogos eletrônicos e violência. São Paulo: Futura.

CRUZ, C. H.B (2000). A Universidade, Empresa e a Pesquisa que o país precisa. Parcerias Estratégicas, Retirado de https://goo.gl/SV15KN

DICHEV, C. et al (2014). From Gamification to Gameful Design and Gameful Experience in Learning. Cybernetics And Information Technologies, Retirado de https://goo.gl/P9QFxW

FLEURY, A.; NAKANO, D.; CORDEIRO, J. D (2014). Mapeamento da Indústria Brasileira e Global de Jogos Digitais. Retirado de https://goo.gl/kE7mA3

HAMARI, J.; KOIVISTO, J.; SARSA, H. (2014). Does Gamification Work?: A Literature Review of Empirical Studies on Gamification. Hawaii International Conference On System Science, Retirado de https://goo.gl/y5MtK2

HUIZINGA, J (2012). Homo ludens. São Paulo: Perspectiva,

LETA, J (2011). Indicadores de desempenho, ciência brasileira e a cobertura das bases informacionais. Revista Usp Retirado de https://goo.gl/68hDE4

LÉVY, P (1993). As tecnologias da inteligência: o futuro do pensamento na era da informática. Rio de Janeiro: Editora 34,

MATURANA R, H.; VARELA G. F. (1995). A árvore do conhecimento: as bases biológicas do entendimento humano. Campinas, SP. Editorial Psy II,

POPLIN, A. (2012). Playful public participation in urban planning: A case study for online serious games. Computers, Environment And Urban Systems, Retirado de https://goo.gl/qvV8y

SEVERINO, A. J (2002). Educação e universidade: conhecimento e construção da cidadania Interface - Comunicação, Saúde, Educação, v. 6, (10), pp. 117-124.

TODOROV, J. C. (2012). Sobre uma definição de comportamento. Revista Perspectivas, Brasil, v. 3, (1), p.032-037, Retirado de https://goo.gl/WmQsRD

URBIZAGASTEGUI, R. (2008). A produtividade dos autores sobre a Lei de Lotka. Ciência e Informação, v. 37, (2), p.87-102, Retirado de https://goo.gl/4HvucM

WALZ, S. P.; DETERDING, S (2014). The Gameful World. Indian Trail, North Carolina, Eua: Mit Press.

ZIMAN, J. M (1979). Conhecimento publico. Belo Horizonte: Itatiaia; São Paulo, Editora da USP.




DOI: https://doi.org/10.33881/2011-1786.rip.11203

Métricas de artículo

Vistas de resumen
88




Cargando métricas ...

Enlaces refback

  • No hay ningún enlace refback.




Copyright (c) 2019 Corporación Universitaria Iberoamericana

Licencia de Creative Commons
Este obra está bajo una licencia de Creative Commons Reconocimiento-NoComercial-SinObraDerivada 4.0 Internacional.


Bogotá, Calle 67 N 5-27.
Servicio al Estudiante (1) 5897550.
Horario: Lunes a viernes de 8 a.m. a 7 p.m.
Conmutador (1) 3489292.
Horario: Lunes a viernes de 8 a.m. a 6 p.m. y sábados de 8 a.m. a 1 p.m.
Neiva, Calle 14 N 8B-65. Teléfonos (8) 875 8103 y 875 9009.
servicioalestudiante@iberoamericana.edu.co
Bogotá, Colombia, Sur América

Carácter académico: Institución Universitaria
P.J. No. 0428 del 28 de Enero de 1982 - MEN
VIGILADA MINEDUCACIÓN

Sistema OJS - Metabiblioteca |